fevereiro 29, 2016

20 ANOS!


Tenho oficialmente 20 anos!

Ok, agora deixei oficialmente de ser um adolescente ... isto se eu contar ano a ano porque na realidade eu só tenho 5 anos e sou uma criança que vai fazer uma festa com o tema dos Minions, portanto é tudo uma questão de perspetiva.
20 anos é imenso tempo! Não sou daqueles que faz um drama por celebrar o aniversário mas é mesmo muito tempo. Nem quero imaginar daqui a 30 anos quando tiver meio século de existência ...

Nota: Participa no Giveaway de aniversário do blog aqui!

fevereiro 26, 2016

Giveaway de Aniversário


Queres habilitar-te a ganhar este livro?

Livro: Crime na Universidade
Autor: Pedro Macedo
Editora: Chiado Editora
Género: Policial

Sinopse:
"Quando Edward e a sua equipa do FBI, são chamados à Universidade para resolver um homicídio, nada fazia prever a sucessão de acontecimentos que viriam a acontecer. Com a ajuda de uma bela e sensual jornalista, os agentes precipitam-se numa vertiginosa luta contra o tempo, onde ninguém parece dizer a verdade e todos têm algo a perder."



Regras do Giveaway:
- Colocar gosto na página do facebook da Chiado Editora.
- Votar nos "Lupa Awards" e preencher as informações no fim deste.

Obs: Quantas mais vezes votares mais hipóteses tens de ganhar!

A cada participação é atribuído um número através da base de dados.
O vencedor será sorteado através do random.org e contactado durante o dia 12 via e-mail, terá 24 horas para responder, caso contrário procederei a um novo sorteio.

Poderás votar até ao dia 11 de março às 23h59.




Boa sorte!

fevereiro 25, 2016

05. A Cadeira

Capítulo anterior, aqui.

05. A Cadeira

Ela ficou estática a olhar para mim, mil pensamentos deviam percorrer-lhe o cérebro, eu estava nervoso, precisava da sua resposta.
- Sim, eu quero! - Respondeu esboçando um sorriso. 
Fiquei feliz, éramos oficialmente namorados, beijei-a, de seguida levantei-me do sofá com ela ao colo e fui em direção ao quarto, pelo caminho trocámos mais beijos.
Quando entrámos no quarto fui para a cama e sentei-me, ela estava por cima de mim, lentamente fui abrindo o fecho do vestido, senti a sua pele, o seu aroma deixava-me louco de desejo, levantou-se e tirou o vestido, reparei que trazia uma provocante lingerie vermelha, fiquei de boca aberta a olhar para o seu corpo, enquanto se aproximava de mim subiu para o meu colo e empurrou-me contra os lençóis, senti a sua respiração no meu ouvido, fiquei arrepiado, ela foi descendo as mãos e desapertou-me as calças, era impossível resistir-lhe. Nessa noite cada um entregou-se de uma maneira muito mais intensa do que qualquer outra vez.
No dia seguinte, acordei com ela a dormir sobre o meu peito, acariciei os seus cabelos sentindo o seu perfume, nesse momento senti-me uma das pessoas mais completas, tinha casa própria, uma linda namorada e a oportunidade de voltar a dançar. 
Tive pela primeira vez um momento de consciência profunda desde a primeira morte que cometera, interroguei-me o quanto era errado o que tinha feito, mas cheguei à conclusão que não me arrependia, todos mereceram. Prometi a mim próprio que a partir daquele dia iria ser uma pessoa diferente, mais tolerante dentro do possível.
- Bom dia! - Saudou ela com a sua voz de sono. - Porque não me acordaste?
- Estava a adorar ter-te nos meus braços. Transmites-me paz! - Admiti.
- Amo-te! - Confessou.
Depois de nos levantarmos e tomarmos um banho juntos, disse-lhe que iria contar ao meu irmão que já conseguia andar e que éramos namorados, ela apoiou totalmente. Liguei ao Isaac e pedi-lhe para ir ali a casa.
Enquanto esperávamos por ele ficámos abraçados no sofá a assistir a um filme, a cadeira de rodas estava ali perto. O filme estava quase no fim quando a campainha tocou.
- Estás pronto? - Quis saber ela.
- Sim! Podes abrir a porta, por favor? - Pedi.
Ela encaminhou-se para a entrada, pelo caminho só conseguia olhar para o seu corpo a bailar pela casa, a porta abriu-se e nesse exato momento a cara de surpresa do meu irmão foi impagável.
- Olá Isaac! Tudo bem contigo? - Questionou ela. - Entra!
- Olá ... Tu aqui? ... Sim estou bem, e tu? Há alguma coisa que me tenha escapado? - Perguntou um pouco baralhado, enquanto entrava.
- Mano, chega aqui! - Pedi.
- Olá, parece que tens alguma coisa para me contar ... - Insistiu ele.
Ambos se sentaram no sofá e revelei-lhe a novidade sobre nós, ele ficou mais eufórico do que o esperado, na opinião dele era fantástico dois irmãos namorarem duas irmãs. Perguntou-me quem é que já sabia e que tinha de revelar à Arya aquela grande novidade, sugeriu logo um jantar de casais, nós aceitámos.
- Mas não é tudo ... Tenho mais uma coisa para te contar ... - Fui interrompido logo por ele.
- Estás grávida Mirna? - Perguntou ele completamente entusiasmado.
Ambos nos metemos a rir e dissemos que não, depois a Mirna foi para o quarto para eu poder falar com o Isaac sozinho.
- Como bem sabes durante mais de seis meses fiz fisioterapia todos os dias, eu queria mesmo voltar a andar, eu lutei muito ...
- Aiden ... Vais andar para aí a dar voltas ou vais dizer logo o que tens a dizer? - Perguntou curioso.
- Pois, bem, eu ... - Nesse momento levantei-me do sofá e fiquei a olhar para ele.
Ele ficou em choque, não estava à espera daquela notícia, ficou simplesmente calado a olhar para mim. Perguntei-lhe se não tinha nada para me dizer, ele levantou-se, olhou-me de alto a baixo e revelou-me que já calculava, só estava à espera que eu lhe dissesse. Disse-me que suspeitava desde o dia em que decidira voltar para minha casa sozinho, eu neguei e disse-lhe que só tinha começado a andar há poucos dias, ele não acreditou, ficou magoado por não lhe ter contado no próprio dia, disse que precisava de tempo para pensar e saiu. Eu fiquei sem saber o que fazer, o Isaac era quase uma parte de mim, nunca tinha ficado sem ele, magoá-lo foi um erro grave.
Sentei-me no sofá sem saber o que fazer, poucos minutos depois a Mirna entrou na sala, contei-lhe o que se tinha passado e ela confortou-me, depois disse-me que precisava de ir trabalhar mas não me queria deixar ali sozinho, eu disse para ela ir, despedi-me com um beijo e saiu.
Durante a tarde recebi uma chamada da minha mãe, queria que fosse até ao centro de repouso porque tinha algo muito importante para me dizer, quis saber o que era mas não me disse. Peguei nas chaves do carro e sai pelo meu próprio pé, tinha deixado de vez a cadeira.
Quando cheguei ao centro e entrei reparei que estava lá o Isaac, a conversa seria com os dois, quando me viu não disse nada, simplesmente ficou a olhar, não conseguindo aguentar sem falar com ele, meti conversa.
- Olá, a mãe também te chamou?
- Se estou aqui é porque sim! - Respondeu friamente.
- Isaac eu juro-te que quando me mudei ainda não andava, acredita em mim, porra! - Implorei. - Desculpa se contei primeiro à Mirna mas estou louco por ela. - Confessei.
- Aiden falamos sobre isto depois! - Disse ele pondo fim ao assunto.
Entretanto o auxiliar tinha chegado e indicou-nos o caminho a seguir até ao jardim da clínica. Ela estava sentada num banco junto a uma árvore a ler um livro, quando nos viu ficou admirada por eu estar de pé, contei-lhe os pormenores enquanto o Isaac fazia cara feia, depois interrompeu e perguntou o que é que ela nos queria.
A expressão dela mudou, as palavras eram curtas, começou a contar-nos a nossa história desde crianças, o Isaac olhava para mim sem compreender a situação, por fim largou a notícia que eu já sabia, revelou que éramos adotados. O meu irmão ficou em estado de choque, sem compreender, eu limitei-me a fingir que estava a ouvir aquilo pela primeira vez. Como eu previra aquela notícia estava a dar cabo do Isaac, tremia por todos os lados, não conseguia falar, a respiração estava pesada.
- Isaac tem calma por favor, nada muda! - Tranquilizou-o. - Tenho muito para vos explicar mas primeiro deixem-me apresentar os vossos pais biológicos. - Depois acenou com uma mão para trás de nós.
A curiosidade inundou-me, quem seriam os meus verdadeiros pais, quais seriam os motivos para nos terem abandonado. Pela primeira vez estava nervoso e talvez com um pouco de medo, olhei nos olhos do Isaac, este virou a cabeça e viu primeiro que eu, a sua reação foi de absoluto choque, virei-me para tentar compreender e logo entendi.
- Vocês? - Aquilo tinha-me apanhado completamente de surpresa. O Isaac não aguentou e correu dali para fora.


Fim da segunda temporada

Primeiro Capítulo da Terceira Temporada, aqui

O que achaste das últimas mudanças? 

fevereiro 23, 2016

Primeira Parceria


É com muito orgulho que informo todos os leitores do blog que este acabou de se tornar parceiro da Chiado Editora.

Para quem não sabe a Chiado é das maiores editora de língua portuguesa no mundo estando presente em Portugal, Brasil e Angola. Para além disto publica também noutros países da Europa e Américas.

Com esta parceria poderão ler mais opiniões sobre livros e ainda participarem eventualmente em passatempos que irão ocorrer.

Espero que esta grande novidade vos deixe tão entusiasmados como eu fiquei.

fevereiro 21, 2016

Short Film: Recurso Final

"Só é real aquilo que conheço!"
O primeiro short filme do blog chega já no final deste mês! Não podes deixar de ver "Recurso Final" ...

A cerimónia de revelação dos vencedores dos Lupa Awards está quase a chegar! 
Já votaste nos teus favoritos? Podes fazê-lo, aqui!

Para ti o que é real?

fevereiro 20, 2016

Wayward Pines - Paraíso de Blake Crouch

Título: Wayward Pines - Paraíso
Autor: Blake Crouch
Editora: Suma de Letras
Páginas: 335
Ano de Lançamento: 2015
ISBN: 978-989-8775-36-8
Avaliação:



Esta trilogia foi adaptada para uma minissérie de seis episódios e exibida na Fox.



Sinopse:
"As crianças brincam na rua e os pássaros cantam nas árvores quando o agente dos serviços secretos Ethan Burke chega a Wayward Pines, uma terra idílica nas paisagens de Idaho. 
A sua missão é clara: encontrar dois agentes federais que desapareceram há dois meses na bucólica localidade. Apenas minutos depois de chegar, Ethan sofre um violento acidente e acorda no hospital: sem documentação, sem telemóvel, sem a sua pasta. À medida que a investigação avança, as dúvidas são cada vez mais numerosas e inquietantes do que as respostas. Porque não consegue Ethan comunicar, de nenhuma forma, com a mulher e o filho? Por que razão todos duvidam da sua identidade? Qual é o propósito do muro electrificado que circunda a cidade? Impedir os habitantes de sair… Ou impedir alguma coisa de entrar? 
A cada passo que dá na procura da verdade, Burke afasta-se cada vez mais do mundo que pensava conhecer e do homem que pensava ser. Até que esbarra numa dúvida aterradora: será ele capaz de sair de Wayward Pines?"

"Wayward Pines o lugar de onde não deveríamos querer sair."

Opinião:
Por ter visto a série primeiro eu já sabia o que ia acontecer mas fiquei admirado com a quantidade de situações que são diferentes, embora muitas delas só comecem a acontecer nas últimas 50 páginas do livro. 
Na série muitas coisas passam-nos completamente ao lado, ficamos com a impressão que é a primeira vez que o Ethan acorda em Wayward Pines mas no livro não é bem assim ... Mais duas coisas completamente diferentes entre série e livro é que enquanto na série a Theresa e o Ben aparecem ao fim de um tempo, no livro eles já lá estão há cinco anos, mas não vou aqui fazer spoilers, outra coisa completamente diferente é a forma da morte de um determinado personagem, enquanto na série esta é atropelada (quem viu a série sabe de quem falo), no livro é comida ...
Passando ao enredo considero-o um pouco lento e descritivo, é certo que às vezes é importante para ficarmos a compreender melhor algumas coisas mas existe outras que não faz sentido, por exemplo, achei um excesso de descrição numa cena em que o Ethan está a fazer escalada, quase 5 páginas sobre o mesmo.
Gostei das personagens serem desenvolvidas consoante a sua importância na história, quando mais vai aparecendo mais se sabe.
Achei interessante a explicação arranjada para o motivo de não se poder sair de Wayward Pines ou falar sobre o passado e tudo o que envolva política ou cultura. Podia ser tudo um sonho de Ethan ou algo mais banal mas o motivo é muito mais inteligente.
Agora resta-me ler o segundo livro "Wayward Pines - Revolta" e ver as mudanças.

Já leste este livro? 

Wishlist - 20 Anos


Dia 29 de fevereiro faço 20 anos, já estou a ficar velho! Não tenho problemas em celebrar o meu aniversário mas vinte anos é muito tempo, serão 7306 dias, aproximadamente 175344 horas de existência, é um pouco assustador quando faço as contas mas pronto... Estou super entusiasmado porque este ano faço mesmo no meu dia (para os que se estão a perguntar nos outros anos celebro a 1 de março!).
Neste dia o importante são os amigos e a família mas seria hipócrita se dissesse que não quero presentes, porque os quero! Mas se não me oferecem nada também não vou ficar chateado. 
Agora ... o valor é que me é indiferente, fico feliz se me comprarem alguma coisa ou se for feito pela própria pessoa, isto significa que perdeu tempo a preparar-me alguma coisa. 
Mas para esta publicação venho revelar alguns bens materiais que gostaria de possuir, daqueles que se compram, porque os outros depende da criatividade da pessoa.

A lista de desejos:

Bilhete para o dia 29 do Rock in Rio
  • Para quem não sabe eu gosto bastante das músicas da Ariana Grande e do Charlie Puth, para além disso aproveitava e ouvia também o Avicii. Possivelmente será a minha prenda para mim próprio, isto se ninguém me oferecer ...


"Nine Track Mind" do Charlie Puth e "1989" da Taylor Swift
  • Quero muito estes dois discos. Dois artistas em que estou viciado!


Livros
  • Estes três, "quando éramos mentirosos" de E. Lockhart, "O Bicho-da-Seda" de Robert Galbraith e "O quarto de Jack" de Emma Donoghue são só uma pequeníssima parte de todos os livros que quero. Podem ver os outros na página da wishlist.


Guias de Viagem Porto Editora - Londres
  • Quero muito ir a Londres e quem sabe não seja este ano ... Por isso um guia vinha mesmo a calhar, as minhas previsões são positivas ...


Bilhetes para a peça de teatro "Harry Potter and the Cursed Child"
  • Claro que não podia faltar algo relacionado ao Harry Potter nesta lista, sendo eu Potterhead. A magia voltou em peso este ano! Uma peça de teatro, um novo filme, um novo livro ... Mais alguém acha que está a sonhar?



Existem outras coisas que quero mas estas seriam perfeitas! Agora resta esperar até à noite de aniversário ... 
As minhas festas são sempre temáticas e este ano escolhi um tema infantil (Se contarmos corretamente só irei fazer 5 anos!) mas que agrada a muitos graúdos, Minions. Sim, eu vou fazer uma festa sobre os bonecos amarelos apaixonados por bananaaaaas. (Já agora, o meu favorito é o Bob.)
 

fevereiro 17, 2016

04. Frágeis Memórias

Capítulo anterior, aqui.

04. Frágeis Memórias
  
Vinte e um dias após a morte e o funeral da minha irmã algumas coisas mudaram, a minha mãe foi internada numa clínica de repouso por ter ficado à beira de uma depressão, que pena não ter ficado mesmo, o meu irmão e a Arya oficializaram a relação com duas alianças de compromisso, foi um gesto bonito da parte dele mas piroso, embora também o fizesse pela Mirna, o meu pai começou a beber e agora passa os dias bêbado, tenho de lhe oferecer algumas garrafas, e eu mudei-me novamente para a minha casa apesar da insistência do meu irmão para ficar.
Durante estes dias apesar de não estar minimamente triste fiz o meu papel de coitadinho e a Mirna foi um grande apoio, eu que nunca quis ninguém definitivo na minha vida estava a mudar de opinião a cada dia graças a ela. Gosto da sua companhia e quero estar mais tempo com ela, sempre que estamos juntos o meu lado negro desaparece, a Mirna tem esse poder, consigo transformar-me numa pessoa que eu quase desconheço, não sei se isso é bom sinal.
Depois de muito pensar cheguei à decisão que aquele seria um dia muito importante para mim, já a conhecia quase há um mês, estávamos juntos todos os dias durante várias horas, naquele momento liguei-lhe e convidei-a para jantar em minha casa, ela aceitou.
Ainda faltavam algumas horas para o jantar e tinha uma última vingança preparada para a pessoa que me atropelou. Depois de ter descoberto o local onde esta se encontrava, passei finalmente à ação, tinha esperado mais de seis meses por este dia e agora ninguém iria impedi-lo, meti as luvas, preparei a arma, coloquei-lhe o silenciador e saí. 
Desde que voltei a andar só conduzi uma dúzia de vezes e sempre para locais próximos, esta seria a viagem mais longa depois da recuperação mas valeria a pena só para a aniquilar.
Cheguei à academia de dança e fiquei dentro do carro. Com o telemóvel descartável que tinha comprado, liguei-lhe. 
- Olá! Temos contas para ajustar, não te parece?
- És um louco, psicopata, assassino! Vou é entregar-te à policia. - A ameaça dela era bem possivel, mas previsível.
- Faz isso e o teu marido morre com um tiro nos cornos neste exato momento. - Disse muito tranquilamente, bluff era o que me iria safar desta vez. - Se tentares comunicar com alguém seja de que forma for eu saberei! Estás vigiada ... - Depois disse-lhe para vir ter comigo a casa do filho, o que a fez exaltar-se e ofender-me de várias formas, sem a deixar desligar mantive a comunicação.
Vi-a a sair desesperada da academia, liguei o meu carro, ela entro no seu, meti o sinto, ela arrancou, segui-a até ao destino.
Àquela hora a rua estava deserta, as pessoas estavam a trabalhar ou na escola, ela estacionou e correu para a porta do filho. Parei o carro, arranjei a arma e saí em direção à porta da casa, ela procurava rapidamente a chave na mala quando lhe toquei com a arma nas costas, ela assustou-se e eu mandei-a calar-se e abrir a porta, assim fez apesar de ter demorado mais um minuto até encontrar a chave. Entrámos e mandei-a sentar-se no sofá, eu fiquei de pé a olhar para ela.
- Então Leona como está? Já não nos víamos há mais ou menos seis meses ... - Ironizei. - Não tem nada para me dizer? - Enquanto falava apontava-lhe a arma.
- Seu desgraçado! Onde está o meu marido? - Perguntou. 
- Bluff! - Ri.
- Eu sei que foste tu que mataste o Zack! Como foste capaz? - Começou a chorar. - Vocês eram amigos! E como é que voltaste a andar? - A raiva tinha-se apoderado dela.
O Zack tinha sido a minha segunda vítima, ele só morreu por causa da mãe e agora aqui estava ela a vingar-se pelo filho, que irónico. Só não percebi como é que ela descobriu que tinha sido eu.
- Mas como é que descobriu? - Perguntei curioso.
- A mensagem que me enviaste dizia "Olá mãe, estou com uma problema. Preciso que venha cá! Beijinho.", primeiro o Zack nunca me tratou por você e depois ele nunca escreveria beijinho, mesmo assim vim cá a casa e quando cheguei vi a cena macabra que encenaste, o corpo dele já sem vida a boiar na piscina, és maquiavélico!
- Mas isso não explica o facto de saber que fui eu!
- Tu combinaste um encontro com ele! Para teu azar eu falei ao telemóvel com ele depois disso e disse-me que naquele dia iria ficar em casa e que ia passar a tarde contigo. - Aquela revelação tinha-me apanhado de surpresa, afinal não tinha sido tão cuidadoso como pensava.
- A quem é que contou? - Perguntei enquanto continuava de arma em riste.
- Só eu sei, por enquanto! Pensei que tinhas morrido, mas depois ligaste-me e agora estás a andar. - Fez uma pausa. - Não entendo como é que é possivel! És um demónio! - Disse confusa.
- Não! Só sou um ser com muita sorte! Fisioterapia e uma queda acidental foram a fórmula para o sucesso. Mas isso agora não interessa! - Calei-me e deixei o silêncio imperar.
Podia torturá-la mas decidi ser rápido e despachar aquilo rapidamente, não sem antes criar uma situação de suicídio, obrigando-a a escrever uma carta de despedida e a dizer que não conseguia viver sem o filho, depois aproximei-me dela encostei a pistola à cabeça e disparei. Ela tombou sobre o sofá, coloquei-lhe a arma na mão e olhei uma última vez para a situação com o dever de missão comprida. Agora poderia voltar a ser eu, livre e feliz.
Tinha regressado a casa, faltava uma hora para a Mirna chegar, estava a tomar um banho de imersão para relaxar, depois de tanta confusão nos últimos meses merecia. Quando saí da banheira, vesti-me e arranjei a mesa, enquanto o jantar ficava pronto, acendi umas velas e liguei a música, para criar um ambiente descontraído. Tocaram à campainha, devia ser ela, sentei-me na cadeira de rodas e fui abrir a porta.
Quando a vi o meu coração disparou, estava num justo vestido preto, o que deixava transparecer a sua bela forma física, o cabelo cobria-lhe os ombros e o sorriso iluminava-me os olhos, demos um beijo e pedi-lhe para entrar e sentar-se no sofá, ela assim fez.
- Como sabes eu gosto muito de estar contigo e confio imenso em ti, por isso gostava que fosses a primeira a ver ... - Aquela era uma prova de amor e confiança que lhe estava a dar.
- Estás a deixar-me nervosa!
- Desde que te conheci ganhei uma nova força e coragem para tentar. - Não era de todo verdade mas eram palavras bonitas de se dizer. - Foi graças a ti que consegui ... - Lentamente fui-me levantando da cadeira até ficar de pé.
O seu rosto era de pura surpresa, estava a olhar para mim de boca aberta sem dizer nada. Talvez tivesse cometido um erro ao confiar nela, se calhar ainda era demasiado cedo. De repente ela abraçou-me e agradeceu por lhe ter contado. Beijei-a e ficámos ali abraçados durante uns minutos até ouvir o forno a apitar.
- A carne ... - Disse. 
Ela riu-se e fomos até à cozinha, de mãos dadas, passámos pela mesa e ela elogiou a decoração e a música que se ouvia. Depois de preparar os pratos fomos para a mesa e jantámos enquanto conversávamos sobre as novas aventuras que agora podíamos fazer visto que já andava, passámos à sobremesa, morangos com natas. 
Enquanto comíamos retirei um morango e dei-lho, ela trincou e quando ia para comer o resto meti-o na minha boca, ela fez um sorriso maroto e foi em direção aos meus lábios acabando por me beijar, o clima estava a aquecer, as suas mãos tocaram no meu tronco, iam descendo até chegar ao fim da camisola, quando senti a mão dela nas minhas calças puxei-a para mim e ficámos de pé, enquanto nos beijávamos, fomos caminhado pela sala até ser empurrado para o sofá, ela sentou-se por cima de mim, puxando o vestido um pouco para cima para não o rasgar, tirou-me a camisola, estava completamente encantado com ela. De repente lembrei-me do objetivo daquele convite e afastei-a.
- Espera um segundo ... - Pedi.
- O que foi? - Questionou enquanto me beijava o pescoço.
- É que tenho uma coisa para te pedir ... - Enquanto tentava falar, ela beijava-me o resto do tronco, senti os seus lábios a percorrer os meus abdominais, estava a ficar impossível resistir. - Eu amo-te! - Tinha sido a primeira vez na minha vida que tinha declarado o meu amor assim a alguém. 
Ela parou, olhou-me nos olhos e retribuiu o sentimento.
- Queres namorar comigo? - Perguntei nervoso.


Próximo capítulo, aqui.

O que achas que irá acontecer no próximo e último capítulo da segunda temporada?

fevereiro 14, 2016

Te Amo - Agradecimentos


Chega ao fim este projeto tão especial onde foi possível espalhar amor e dedicar belíssimas palavras a alguém importante na nossa vida.
Tenho de agradecer a todos os que leram e comentaram as dedicatórias mas principalmente àqueles que escreveram, sem eles este projeto não era possível.


Obrigado ...

Carolina; Sara Black; Summer; Arya; Carolina.; Maria das Palavras; 
Ava; Gonçalo Lopes; Isa; Tatiana Bartolomeu; Andreia Martins; 
Rainha dos Tropeções; Susana Pedro; Pedro Sampaio; Simple Girl; 
C.; Mafalda Lopes; Pedro Ribeiro e Telma Henriques.

Te Amo #20


"És uma pessoa fantástica, o que me leva a pensar que às vezes não te dou todo o valor que mereces, desculpa se alguma vez te falhei.
Tu és uma amiga fantástica que eu adoraria guardar num frasquinho para nunca perder, és uma irmã sem ser de sangue, és aquela pessoa com quem já partilhei vidas, emoções, viagens, ...
És aquela pessoa com quem eu discuto por coisas muito estúpidas tipo como fazer massa e que me faz rir com as piadas mais secas existentes no planeta, és aquela pessoa com quem eu não consigo ficar chateado porque simplesmente o teu jeito de ser consegue desabar qualquer muralha que tente construir.
Durante estes anos de amizade que vamos construindo sinto que cada vez posso contar mais contigo, sei que não me queres ver falhar, obrigado.
Espero que saibas que estou aqui hoje e amanhã para te escutar, apoiar, abraçar, ler e compreender nos bons e nos maus momentos, é assim que se constrói uma sólida amizade.
Num ato de criatividade pura criei-te uma alcunha que se enquadra perfeitamente naquilo que desejas ser e que eu acho que és, tu és e serás sempre a minha amiga DIVA.
Obrigado do fundo do meu coração por fazeres parte da minha vida. És um dos meus pilares!"

Escrito por:
Diogo Mota (eu)

Te Amo #19


"Esta pode não ser a história mais bonita do mundo. Pode não ser a história mais romântica. Pode não merecer um óscar ou mesmo o casamento do ano oferecido pela Pipoca Mais Doce cá do sítio. Pode ser tonta, mas para mim, não podia ser melhor. Eu sei melhor do que ninguém que pode ser tudo isso, pode ser a mais ridícula e pode ser vista como mais uma história, mas nunca será menos do que a melhor de todas. Nunca será menos do que o melhor! Mas felizmente só eu poderei ver isso. Sou a mais sortuda do mundo porque enquanto as outras todas discutem que os homens são todos iguais, eu posso dizer que tenho o mais diferente e o mais perfeito de todos. Eu sei que sou teimosa para lutar mesmo quando não tenho razão para provar o meu ponto de vista, mas sabes que mais?! Não preciso. Eu sei que és o melhor. Sei que não há ninguém que se compare a ti. Sei que o brilho dos teus olhos quando olhas para mim me faz sentir superior à rainha de Inglaterra ou mesmo da Deusa Venus (a dita deusa do amor!).
Sei que tudo isto não passa de meras palavras escritas num computador e lidas por alguém em qualquer parte do mundo a achar tudo mais do que banal. Tenho perfeita noção disso e sou mesmo muito feliz, porque só eu sei o tamanhão do significado que tudo isto tem. Só eu sei o que já vivi contigo. Cada acordar a teu lado, cada sonho em conjunto, cada aventura que já vivemos é algo único que eu tenho a sorte de viver. Não quero partilhar muito porque se há algo que eu sou é ciumen... é egoísta ao extremo a querer guardar-te e guardar-nos só para nós, só para mim! És o melhor do mundo e melhor que isso só mesmo o facto de seres meu e é por isso que te agradeço todos os dias. Agradeço-te pelos teus ovos mexidos como só tu sabes fazer, agradeço-te pela paciência para teres um blogue comigo (e ainda tratares do que eu não gosto!), agradeço-te pela forma como me olhas e me fazes sentir. Agradeço-te pelo gigante que és... e por seres só meu!
Mereces o mundo, e tens porque o temos só para nós, um mundo só nosso (e da nossa peste negra e do futuro grey que abrilhantará os nossos dias cinzentos). És o maior, o mais especial, o melhor! Amo-te mais a cada segundo que passa e isto são só palavras, porque na realidade, o sentimento é muito maior do que tudo isto! És o yang do meu ying! ​Amo-te-nos!!"

Escrito por:

Te Amo #18


"Hoje vou contar-te uma história. A história do dia em que me apaixonei por ti.
Era uma vez um rapaz sisudo e teimoso que conheceu uma rapariga alegre e mais teimosa ainda. O rapaz ficou encantado e nunca mais largou a rapariga. Foram passear ao zoo, atiraram açúcar um ao outro, até que o rapaz, cheio de coragem, decidiu enfrentar as suas barreiras e beijar a rapariga...na estação dos comboios! Ei! Foi um sucesso. Kinda :D Em breve, o rapaz e a rapariga começariam a namorar e ainda hoje se riem daquele dia na estação dos comboios.
Essa foi apenas a primeira de tantas aventuras que vivemos juntos mor. Como quando fomos ao avante e tu me tentavas acordar enquanto a tenda inundava; as nossas peripécias na casa da Costa e os óptimos dias que passámos lá só por nossa conta! Tudo o que já temos ou vivemos, eu quero multiplicar por 1000. Agora vamos começar a nossa maior aventura e o nosso maior desafio, mas não receio nada. Estou ansioso por cozinharmos juntos, dormirmos juntos sem que me empurres com o rabo para fora da cama; vermos tv juntos no sofá, debaixo de uma manta quente e com os nossos dois 'tinhaz, cada um em sua caminha! A Preta, o Grey e nós, para sempre! 
Tudo o que fizemos e conseguimos, foi só o início. Eu amo-te do fundo do meu coração. És a minha alegria e o meu sorriso. Tornas-te os meus dias brilhantes e esperançosos. Deste-me vida para viver o presente e perseguir o futuro! Deste-me objectivos. Fizeste de mim uma pessoa melhor e deste-me algo que quero preservar, acarinhar, amar e proteger: tu. Obrigado por estares do meu lado há quase 3 anos. Obrigado por seres a minha metade perfeita. Estou ansioso pelo nosso presente e pelo nosso futuro! :3
Amo-te, meu amor!"

Escrito por:

Te Amo #17


"Não existem palavras suficientes para descrever o que sinto por ti. Não existem significados possíveis para te poder agradecer tudo o que fizeste toda a tua vida por mim.

Dizem que o amor mais puro é aquele que existe entre mãe e filho, mas eu digo-te avó que o nosso é mais.
Um amo-te para mim, é a maneira mais simples que encontro para te dizer tudo o que significas para mim.
És a minha guerreira, a minha vida, a minha razão de viver, o meu mundo. És aquilo que torna o meu dia melhor quando este está negro, és o meu porto de abrigo.
Não sei o que seria eu sem te ter ao meu lado, não sei o que vou ser quando partires.
Eu amo-te com todas as minhas forças.
Obrigada por tudo avó, mas o mais importante, por seres a mulher que és."

Escrito por:
Mafalda Lopes

Short Film: Recurso Final

"O meu nome é Lucas!"

O primeiro short filme do blog chega já no final deste mês! Não podes deixar de ver "Recurso Final" ...

A cerimónia de revelação dos vencedores dos Lupa Awards está quase a chegar! 
Já votaste nos teus favoritos? Podes fazê-lo, aqui!

Quando um sonho é mais real do que a realidade o que fazemos?

fevereiro 13, 2016

Te Amo #16


"Eu não pretendia, de todo, apaixonar-me... Pensava que a minha vida ia dar muitas mais voltas antes de conhecer o amor. Mas acabei escorregando no teu sorriso, mergulhando nos teus olhos, passeando pela tua boca, até desabar no teu coração! E quando caí dentro de ti, percebi que tinha encontrado o lugar que tanto procurei para morar. Melhor que Londres, mais bonito que Paris e mais paradisíaco que as Caraíbas. Tranquilo, seguro e gracioso...

Morar em ti, é como residir num céu estrelado."
Escrito por:

Fragmentos de Vidas #11


Ana Raquel Andrade, dezanove anos, amiga, livre, simpática, inteligente, desconfiada, ansiosa, responsável, preguiçosa, divertida, honesta, verdadeira, prestável, ...
Uma entrevista simples mas complexa ao mesmo tempo onde a amizade e o amor reinam. Descobre agora fragmentos desta vida ...


Como te estás a sentir agora antes de responderes às perguntas?
Um pouco ansiosa, tal como já é da minha natureza.

Qual a música que define a tua vida?
Não existe uma música que defina a minha vida… eu, pelo menos, nunca encontrei nenhuma. Existe sim uma música para cada situação ou estado psicológico.

Qual a tua palavra favorita? Porquê?
“Amo-te”, quando é verdadeiro, porque sou uma pessoa romântica, que lamechice, e “liberdade”, porque é algo que procuro constantemente.

Qual a tua história favorita de criança? Porquê?

Quando era criança a que mais gostava era a história do Rei Leão; não sei o porquê mas sei que era o filme que mais vezes via. Agora as histórias infantis de que mais gosto são Big Hero e Inside Out, porque são filmes que demonstram muito sentimento e têm grandes mensagens/morais, o que os torna lindos. Apesar de ser uma curta metragem, a “história” ou pequeno vídeo de que mais gosto é Cuerdas, pois tocou-me bastante quando vi pela primeira vez, talvez por a minha vocação estar ligada à educação e às crianças.

Qual o presente que recebeste que mais te marcou? Porquê?
Não tenho só um… A minha bicicleta e a minha guitarra, porque me foram dadas pelos meus avós, uma almofada da minnie, porque foi feita à mão tal como tinha pedido uma vez…
O meu irmão! Obrigada aos meus pais!


Entrarias num reality show? Porquê?
Não, porque não gosto mesmo nada desse tipo de programas… são programas que não acrescentam nada à nossa sabedoria, cultura, etc, e, ainda, expõem as pessoas tipo “ratos de laboratório”.

Os homens são todos iguais? Que tipos de homem existem?
Muitos poderão ser parecidos, mas iguais não. Não há homens iguais! Existem homens bons e homens maus…

O que farias se alguém descobrisse todos os teus segredos íntimos e os espalhasse por aí?
Acho que ficaria capaz de estrangular essa pessoa… não sei o que faria, sinceramente. Essas são daquele tipo de situações que só saberíamos qual seria a nossa reação no momento em que acontecessem.

Acreditas na amizade entre homens e mulheres?
Claro que sim. E posso dizer que tenho amigos e que os admiro muito, sentindo apenas amizade e nada mais do que isso.

A amizade dura para sempre?
Amizades fortes e verdadeiras, sim.



Existe alguém em quem confies de olhos fechados? Quem? 
Apesar de ser uma pessoa bastante desconfiada, sim. Confio totalmente nos meus pais que sempre estiveram, estão e sei que estarão ao meu lado a apoiarem-me em tudo. Também tenho amigos em quem confio plenamente. E, claro, confio em Deus.

Qual a pessoa mais importante na tua vida? Porquê? 
Nunca há “a pessoa mais importante”… Mas das pessoas mais importantes na minha vida são os meus pais, o meu irmão e a minha família, incluindo os meus avós que já cá não estão fisicamente.

Do que sentes falta? 
Sem dúvida que é dos meus avós maternos.

Qual a coisa mais importante que aprendeste na vida? 
Várias coisas, “a família é o nosso maior alicerce na vida”, pelo menos, a minha é, “os amigos verdadeiros são para a vida”, “o caminho faz-se caminhando-se”, “a confiança é algo que se ganha e não que se dá”, etc...

Se pudesses mudar uma coisa na tua vida o que seria? Porquê?
A minha preguiça, porque é o meu maior defeito.


Quanto tempo dura o amor?
O amor não tem tempo!

Acreditas que cada pessoa tem a sua alma gémea? Porquê?
Acredito, pois! Pode até ser uma pessoa que viva no outro lado do mundo, mas acredito. Acredito porque nós fomos criados para sermos livres e felizes e porque o “encontrar a alma gémea” é algo que nos está no sangue, é quase como uma condição humana.

Como achas que será o teu futuro?
Não sei, mas espero que feliz. Espero estar a fazer o que gosto e quero a nível profissional e pessoal.

Estás a fazer o que planeaste há cinco anos? 
Sim, estou a estudar na área que quero e que tinha escolhido, precisamente, há 5 anos.

O que pesa mais, a mentira ou a traição? Porquê? 
A traição, apesar da mentira poder ser considerada como uma forma de traição.



O que nunca perdoarias? 
Uma traição.

Matarias alguém para defenderes quem amas? 
Depende da situação… Mas é algo que espero não ter de chegar a pôr em causa.

Como gostarias de morrer? 
De velhice natural, enquanto estiver a dormir.

Qual a tua opinião sobre o drama dos refugiados? 
Se o amor e a caridade reinasse nada disto aconteceria mas, infelizmente, o que mais existe neste mundo é desordem, ódio, ingratidão, entre tantas outras coisas más que só trazem infelicidade. O facto do que se está a sentir na Europa com os refugiados é grave, e eu já tive um certo medo e receio dos que os pudessem seguir até cá, mas eles apenas querem fugir da guerra e da discórdia e protegerem-se a si e às suas famílias.

Gostas de política? Porquê? 
Não, porque por mais que tente é algo que nunca perceberei.


O sol é para todos, a sombra para alguns, e o subsolo?
Para os que querem ser enterrados. (risos)

Para ti o que é a felicidade?
É conseguir levar a vida com amor e paz, ultrapassando os obstáculos que nos vão sendo postos à frente, de cabeça erguida e com um sorriso na cara, sem nunca pisar nem desejar mal ao outro.

Qual é o teu lema de vida?
“Poderei sempre fazer melhor!”.

Como te estás a sentir agora no fim da entrevista depois de teres respondido a todas as perguntas?
A todas ou faltará alguma? (Risos) Estou bem e menos ansiosa ou nervosa.

O que quer o teu coração?
Amor, paz, liberdade… felicidade.



Tenho de agradecer novamente à Raquel por ter aceite responder ao meu questionário. Obrigado.

Chega assim ao fim mais uma entrevista, onde ficámos a conhecer fragmentos desta vida. Mais uma pessoa comum entre muitas a ser entrevistada ... Não percas as próximas!

O que achaste desta entrevista?

Te Amo #15


"Amar, amar é mais do que uma simples palavra. Amar é mais do que “gostar de alguém”.

Amar é desejar estar cada minuto que passa com a outra pessoa ao nosso lado, partilhar bons e maus momentos com ela, sorrir e fazê-la sorrir, é deitarmos-nos na cama e adormecer a pensar numa vida a dois, desejar aquela pessoa quando se podiam ter várias, é podermos ser nós próprios sem medo do que o outro pode ou não pensar de nós.

Mas amar também é discutir por tudo e por nada, largar o orgulho e correr atrás, é ter um medo inconsciente de perder aquela pessoa, é fazer sacrificios, distinguir os sorrisos sinceros dos forçados.

Porque amar, amar é mais do que “gostar de alguém”. É preciso mimar, cuidar, proteger e também perdoar.

Se encontrares alguém que seja assim contigo, parabéns porque amar é assim.

E eu, eu sei que o que sinto por ti é mais do que “gostar de alguém”."

Escrito por:

fevereiro 12, 2016

Te Amo #14


"Estou eu aqui sentado na cama com um cobertor a cobrir-me, portátil por cima da pequena almofada vermelha a pensar, mas por onde hei de começar? Quero expressar-me mas quando trata-se de ti, as palavras parecem não conseguir satisfazer aquilo que quero dizer. Estamos juntos há um ano e um mês, e nem parece verdade. É fascinante como o tempo voou, e nem dele damos total conta a passar, até que paramos para pensar realmente nisso. Sabes, quando eu olho para ti e tu retribuis esse olhar, não consigo explicar o que sinto. É algo inexplicável, mas quando o faço sei o tipo de homem que quero ser, o tipo de vida que quero ter contigo, e o quanto quero-te ao meu lado. Sabes mais da mim do que qualquer outra pessoa, e isso é por eu ser demasiado reservado. Mas contigo abri-me como nunca o fiz, e é como se estivesse chegado ao intocável sem estar preparado para isso. Sinto coisas por ti que nunca pensei que fossem possíveis, e se soubesses das vezes que sorrio ao pensar em ti, ficarias surpreendia por saber que são todas as vezes. Adoro percorrer o teu enorme cabelo castanho, adoro o teu sorriso lindo que parece dar uma nova batida ao meu coração cada vez que o saltas, e nos meus olhos és a mulher mais bonita, forte, maravilhosa e meiga que existe. Tu és a minha inspiração para que eu continue a escrever e não desista de nada, mas acima de tudo, és a minha inspiração para que eu seja uma pessoa muito melhor. Eu amo-te do fundo de todo o meu coração Diana."

Escrito por:

Dia de São Valentim


No último dia do projeto "Te Amo", 14 de fevereiro, poderão ler não duas mas sim quatro dedicatórias! As diárias serão publicadas às 12h e às 21h e depois temos as especiais ... A parte I será publicada às 15h e a parte II às 18h. Duas cartas que se unem num único amor!


Abre o teu coração e ...
Espalha amor!

Te Amo #13


"Carta a alguém que amo 
- Desde o momento em que te vi que soube que serias especial. Já tu, apenas me achavas muito mal-humorada por nunca sorrir e manter a cara fechada durante a maioria do tempo que estávamos juntos. Mas as conversas foram evoluindo, desde brincadeiras ocasionais e nomes engraçados até desenhos humorísticos confiscados pelo professor de história (que aposto que os guardou para a vida). 
Uma coisa leva a outra e uma grande amizade nasceu, com risos, lágrimas, piadas e momentos menos bons, muitas memórias. Com os nossos temperamentos muito complementares, cresceu um sentimento de partilha e assim fomos ficando, cada vez mais juntos. Nas costas dos nossos colegas (ou assim pensávamos nós), a nossa amizade foi crescendo e transformando-se no próximo passo lógico: o namoro. 
Foi muito intenso, tudo cores vivas e sentimentos arrebatadores. Imensas surpresas e coisas de que não estávamos à espera, momentos bons e menos bons. Momentos maus, em que nos apoiámos mutuamente, nos abrimos um ao outro como nunca o havíamos feito de verdade. Uma grande descoberta em conjunto, tanto de mim, como de ti, como de nós. Muita coisa nova, muita coisa velha com outra perspectiva, muito apenas. Envolvemos logo muita coisa, famílias, amigos, saídas, o próprio crescimento como pessoa de cada um de nós. Sempre em contacto, sempre a partilhar pensamentos, experiências, histórias… Mas sempre é demasiado. Então o inevitável aconteceu. 
Foi cruel e abrupto, mas necessário. Doeu, mas no fim compensou, porque nos sufocávamos um ao outro. A parti daí, ambos nos libertámos de tudo o que nos prendia e finalmente começámos a viver outra vez como pessoas da nossa idade, e não como os idosos presos e sufocados que tínhamos passado a parecer. 
«Amizade pós namoro é um adeus mais discreto», como diz a música, nada! Após tudo o que nos uniu de tantas formas, acho que esta é a forma como devemos estar: amigos. Conto-te tudo o que me acontece de relevante e tu a mim, damos conselhos mútuos, não temos tabus, não nos julgamos mutuamente, apenas nos compreendemos e completamos mutuamente. É por isso que não hesito em dizer que, para o melhor e para o pior, és uma das pessoas que não foi por acaso que continua na minha vida corrente, ao passo que muitos outros que considerava como garantidos se foi embora. A muitos níveis, és a minha alma gémea e quero que saibas isso, apenas não romanticamente como antes. E é de facto melhor assim, para os dois."

Escrito por: